Saúde webmaster

【MACONHA】Os Benefícios Medicinais da Maconha【AQUI】

21 Razões de saúde para utilizar a maconha

BENEFÍCIOS DA MACONHA PARA SUA SAÚDE. Quando se trata de maconha, mesmo que não seja fumante, é menos perigoso do que álcool, açúcar e tabaco. Claro que não juntos, mas individualmente.

Entretanto o consumo moderado em todas as coisas faz sentido.

A razão para ainda permitir a maconha, é porque ela não é uma fonte de renda ou tão boa quanto o álcool e o tabaco e é tão irrelevante quanto à falta de impacto no mercado negro.

Quem, se não o governo e as instituições médicas, têm a capacidade de controlar a qualidade, o preço, a distribuição… e compensa, como mostra os EUA, onde alguns estados decidiram legalizar a maconha.

Aumento da receita tributária e queda da taxa de criminalidade, diminuição de prisões e multas excessivas, além de mais espaço para os detentos realmente pesados. A Holanda vem fazendo isso há algum tempo.

E como muitas vezes, existem muitos outros países que tomam as decisões certas em alguns pontos.

 

→ PRINCIPAIS DICAS FINAL DO ARTIGO

 

Quer ver depoimentos e dicas sobre MACONHA

Deixe seu comentário no vídeo abaixo!

Trabalhamos com amor e dentro do possível seu comentário será respondido!

Este conteúdo não substitui uma consulta medica!

#dietablogbr

 

(VÍDEO) MACONHA – Pra que Serve e Efeitos Colaterais

 

Mas, quais seriam os benefícios da maconha para a saúde?

1- A maconha pode ser usada para tratar o glaucoma.

É uma doença que causa aumento da pressão no globo ocular.

Já na década de 1970, houve estudos que apenas provaram isso.

O National Eye Institute declara: “Estudos no início dos anos 70 mostraram que fumar maconha para reduzir a pressão intraocular em pessoas com pressão normal e com glaucoma”.

 

2- Isso poderia ajudar a reverter os efeitos carcinogênicos do tabaco.

Isso foi demonstrado em um estudo publicado em janeiro de 2012 no Journal of American Medical Associativo, afirmando que a função pulmonar não é afetada pela maconha e pode até aumentar a capacidade pulmonar.

 

3- Em 2003, um estudo mostrou que a maconha poderia prevenir ataques epilépticos.

 

4- Além disso, a maconha reduz os sintomas na síndrome de Dave

Também conhecida como encefalopatia ciclônica precoce / encefalopatia epiléptica infantil precoce, é uma forma rara, grave e maligna de epilepsia mioclônica que pode ocorrer na infância.

O documentário “Weed” entrevista uma família que trata a filha de cinco anos com maconha.

Este tipo particular de cannabis tem um alto teor de canabidiol e um teor muito baixo de THC.

 

5- O canabidiol parece bloquear a multiplicação das células cancerígenas

Vários estudos indicam que o ingrediente cannabis desliga um gene chamado Id-1.

Este gene ajuda as células cancerosas a fazer numerosas “cópias” de células cancerosas e distribuí-las no corpo.

No documentário “Weed” também foi dito que existem vários estudos nos EUA, Israel e alguns outros países que provam que o canabidiol também mata as células cancerígenas.

 

6- Também pode reduzir a ansiedade e possivelmente ajudar com fobias.

Os usuários de maconha medicinal afirmam que ela ajuda a reduzir a dor e a maldade, o que poderia ajudar com a quimioterapia, por exemplo, já que é um dos efeitos colaterais.

Em 2010, a Harvard Medical School disse que poderia reduzir a ansiedade em uma dose razoável, melhorar o humor dos usuários e, em parte, agir como um sedativo.

 

7- Além disso, diz-se que a maconha diminui o processo de Alzheimer.

 

8- Jodey Corey-Bloom estudou 30 pacientes com esclerose múltipla que fumaram grama por alguns dias e disseram que tiveram menos dor.

 

9- No documentário “Weed” relataram:

– Também encontraram alguém chamado “Chaz”, que disse que sofre de espasmos de gatos anões que não são apenas dolorosos, mas impedem aqueles que respiram e conversam.

– A maconha medicinal interrompe esses espasmos quase instantaneamente.

 

10- Em 2006, o European Journal of Gastroenterology and Hepatology publicou um estudo afirmando que:

– 86% dos pacientes com hepatite C submetidos à terapia e consumo da maconha medicinal completam com sucesso sua terapia com chances melhores.

– 29% dos não fumantes em tal terapia também completaram com sucesso.

 

Razão:

– A maconha reduz os efeitos colaterais nos pacientes correspondentes.

– 54% dos fumantes de maconha no estudo tinham um baixo nível viral durante a ingestão e, portanto, poderiam mantê-lo baixo.

– Para os não fumantes, no entanto, foi apenas 8%.

 

11- Na doença de Crohn e na colite ulcerativa, a cannabis também pode ajudar.

Em 2010, cientistas da Universidade de Nottingham descobriram que o THC e o canabidiol interagem com células do corpo que desempenham um papel importante na função gástrica e nas funções de defesa.

Substâncias do tipo THC produzidas pelo organismo aumentam a permeabilidade no trato gastrointestinal e deixam as bactérias puras.

Os canabioides das plantas param esse processo do corpo e com ele as bactérias.

 

12-A maconha reduz a dor, o grau de inflamação e muito mais.

Isso poderia ajudar o paciente com artrite no futuro.

Um medicamento à base de cannabioid chamado Sativex parece estar proporcionando uma melhora no paciente em duas semanas após a receita inicial.

 

13- Desejos discutidos

Um estudo em abril de 2015 descobriu que os fumantes de grama são mais magros, têm um metabolismo mais saudável e uma melhor resposta às substâncias açucaradas. E tudo isso apesar dos desejos de comida.

O estudo examinou mais de 4.500 americanos. Mais de 500 participaram no mês passado, onde:

– 2.000 no passado

– 2.000 eram não fumantes que nunca tocaram grama.

Eles estudaram as reações do corpo quando se tratava de alimentos com substâncias açucaradas.

Incluindo seus níveis de insulina, níveis de açúcar antes de não comerem por nove horas e depois de terem comido substâncias açucaradas.

 

14- Doença autoimune do lúpus eritematoso sistêmico

A maconha tem efeitos calmantes sobre o sistema imunológico, além de ter efeitos colaterais positivos em termos de maldade e dor, que podem ser reduzidos com isso.

 

15- Na doença de Parkinson, a maconha deve ser capaz de ajudar

Também auxilia em casos de:

– Espasmos

– Tremores.

 

16-Ele também suporta pessoas que sofrem de transtorno de estresse pós-traumático (PTSD).

No Novo México, o TEPT é a principal razão pela qual as pessoas obtêm uma licença para usar maconha medicinal.

 

17- Cientistas da Universidade de Nottingham também descobriram que o cérebro de um consumidor de maconha está mais bem protegido após um derrame.

Até agora, no entanto, só testou em ratos e macacos. No entanto, este não é o único estudo que diz que a maconha tem uma influência positiva no cérebro de várias maneiras.

 

18- Também pode salvar o cérebro de concussão e trauma ou reduzir seus efeitos.

 

19- Pode ajudar com pesadelos.

No entanto, esta medalha tem dois lados:

– Usuários frequentes têm um ciclo de sono interrompido. O sono é interrompido na última fase do sono REM. A longo prazo, isso pode ser um problema.

– Pessoas atormentadas por pesadelos, como aquelas causadas por TEPT, poderiam ser ajudadas com sucesso.

 

20- Nós já tivemos a coisa com a quimioterapia.

Dor e maldade são reduzidas. Mas também aumenta o apetite, o que é uma vantagem em uma quimioterapia.

 

21- Além disso, um estudo descobriu que os fumantes de grama são menos propensos ao álcool.

Além disso, devido aos riscos limitados do uso de maconha, o pasto é considerado um substituto sério para o álcool, drogas ilícitas, medicamentos etc.

ATUALIZADO: 16.05.18

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!